Viajante ou turista?

Você se considera um viajante ou um turista?

Este é um conceito bastante recente, porque hoje em dia está na moda ser “viajante”, o velho e bom turista é termo ultrapassado e cafona, ninguém mais se considera um…

Turistas se apinham em lugares óbvios e cheios de ainda mais turistas, seguindo geralmente um guia com bandeirinha, que fala a língua do grupo e dá “dicas imperdíveis” sobre o que não se pode perder de tal lugar. Um quebra-galho, que adianta a sua vida no caso de um completo desconhecimento do lugar que se está visitando- o que para o viajante, é inaceitável.

Sempre teremos Paris...

Sempre teremos Paris…

Já o viajante foge a milhas de distância de lugares com turistas. E, lembre-se, jamais chame um viajante de turista! Eles escolhem justamente o oposto, procuram mais por experiências do que coisas para comprar. Preferem se enfiar em cantinhos perdidos com pequenos restaurantes locais do que ir no famoso restaurante estrelado do Michelin. Preferem sempre assistir ao pôr-do-sol em algum lugar que ofereça uma vista magnífica da cidade do que ir aos já manjados lugares de sempre, cheios de gente. Os viajantes sentam-se e observam os locais, onde frequentam, o que bebem,  identificam hábitos mais rápido do que você consegue imaginar, e o principal: fazem amigos, aonde quer que estejam!

Dubrovnik- Croácia

Dubrovnik- Croácia

Um viajante sabe extrair o máximo de cada lugar que visita, sente a essência de seu povo, sabe ver a alma da cidade- e aproveita sem limites esta experiência. E geralmente, gasta muito menos do que um turista (que logo procura onde gastar seu dinheiro e lotar a mala). Ele sabe que o que define a essência de uma boa viagem é isso: aproveitar sem ter que para isso gastar os tubos. Frequentemente é convidado por seus novos amigos locais para degustar um jantar típico na companhia de sua família, e em troca oferece suas histórias, compartilha sua expertise em globe trotting e sua gratidão. E para isso, nenhum dinheiro é necessário.

Passeio na madrugada pelo Louvre: sensação de te-lo só para você!

Passeio na madrugada pelo Louvre: sensação de te-lo só para você!

Gasta pouco, pois pretende sempre reinvestir seu dinheiro em mais viagens, mensura o seu sucesso pessoal pelo número de carimbos de países no seu passaporte, orgulha-se de  cada vez levar menos coisas na mala- e cada vez mais coisas na memória.

Certamente um dos lugares mais lindos para mergulhar: Vanuatu, Micronésia

Certamente um dos lugares mais lindos para mergulhar: Vanuatu, Micronésia

Ser um turista, por outro lado, também não é ruim. Pense na Monalisa! Turistas e viajantes anseiam por conhece-la pessoalmente e maravilhar-se com seu ar de mistério e perfeição. Ambos concordam que ficar frente a frente com o Coliseu é uma experiência que todos devem ter na vida. E, certamente, os dois pensam que o topo da Torre Eiffel é um dos lugares para se estar para curar qualquer desilusão amorosa, onde a catarse provocada por aquela vista te dá a noção de que a vida é muito curta para ser desperdiçada em momentos tristes.

Você encontrará muitos turistas e viajantes na sua vida, mas não precisa necessariamente se enquadrar em um dos dois grupos: é possível aproveitar o melhor dos dois. Procure por experiências e cultura local como um viajante, mas também abuse do seu lado turista, visitando lugares óbvios. Eles podem te surpreender também. Quem nunca se arrepiou com a beleza gelada da vista do topo do Empire State em pleno inverno nova-iorquino? E o sentimento bucólico que as estações de patinação do Hotel de Ville de Paris, ou do Rockefeller Center no Natal te oferecem, de bandeja?

Vôo panorâmico pelo Grand Canyon- Arizona

Vôo panorâmico pelo Grand Canyon- Arizona

Seja cafona, faz parte do verbo turistar. Encontre o melhor dos dois mundos! Andar pelas margens do Sena é para todos, turistas ou viajantes!

Mas o principal: viaje, cada vez mais. Invista em sabedoria, cultura in loco, experiências para toda a vida, amizades inesperadas, inspiração. Seja um adepto do Wanderlust! E acima de tudo, não julgue, pois todo mundo teve ou terá seu momento turista!!!!

Au revoir!

Parasailing em Fiji, algo a se fazer na vida se quiser ter na memória algo espetacular e inesquecível

Parasailing em Fiji, algo a se fazer na vida se quiser ter na memória algo espetacular e inesquecível

Advertisements

Sobre summeliers e shrubs

Você já ouviu falar em summelier -sim, com u mesmo?

cupon.es

cupon.es

No Japão, esta é uma das profissões mais na moda do momento. Trata-se de um profissional especializado em vinagres  (provenientes do saquê), capaz de identificar sabores, sugerir combinações e criar novas possibilidades com este ingrediente por vezes subestimado na cozinha. E por lá, vinagre é coisa séria, pois segundo eles, ajuda a realçar o umami dos alimentos.

Um summelier analisa se a acidez está correta, se os sabores se misturam exatamente como deveriam, sugere novas misturas, acompanha as fases de produção, analisa a matéria-prima e atesta a qualidade. Mas acima de tudo, faz a harmonização dos vinagres de saquê com pratos, e o mais legal: com bebidas! Os japoneses o consomem muito no verão, com sucos de frutas e água com gás.

Nos Estados Unidos (onde já há uma cultura um pouco mais abrangente do vinagre), ainda não há oficialmente a profissão de summelier, mas bartenders ligados já estão aderindo à este ingrediente tão versátil e usando-o na criação de novos drinks: shrubs cheios de sabor (limpam o paladar e refrescam).

mdemulher.abril.com.br

mdemulher.abril.com.br

Aqui no Brasil temos poucos vinagres de qualidade, e sua produção ainda é pequena- a demanda não é assim tão alta que justifique um maior investimento. O vinagre sempre foi visto como coadjuvante sem grande importância na cozinha- é só observar os nossos vinagres sem graça de álcool, de maçã, de vinho branco, entre outros.  Mas esta visão felizmente está mudando, e já pegamos emprestado dos italianos o vinagre balsâmico, dos espanhóis o de Jerez, dos japoneses o de arroz e por aí vai.

Em algumas lojinhas de importados, ou no exterior, podemos encontrar vinagres um pouco mais elaborados: de malte e extrato de vinho branco com estragão, vinho com alho, malte puro, de framboesa, de caqui, de champagne, porto, vinho cabernet e outras uvas específicas e mais tantos outros que com certeza ajudarão e muito na elaboração de pratos diferenciados e surpreendentes. Mas o que acho ainda mais interessante é a opção de harmonização que estes summeliers podem oferecer, indicando os pratos que mais trariam à tona os sabores específicos de cada variedade de vinagre.

Como ainda não podemos contar com a expertise desses profissionais, deixo aqui algumas receitas de shrubs (a proporção de cada ingrediente pode sempre ser alterada a gosto)! Aproveite!

Refrescante:

  • 1 colher de sopa de vinagre de arroz;
  • 1 colher de sopa de suco de limão siciliano;
  • água com gás a gosto;

    houstonchronicle.com

    houstonchronicle.com

Elegante:

  • 1 colher de sopa de melaço de romã;
  • 1 colher de sopa de sementes de romã;
  • 1 colher de sopa de vinagre de cabernet;
  • 1 colher de chá de Jerez;
  • água com gás a gosto;

Elaborados:

  • faça um xarope de frutas com vinagre- deixe alguma fruta doce picada (pêssego, nectarina e frutas vermelhas são ótimos) macerando com açúcar e água (use a proporção de 1 medida de água para 1 de açúcar e 1 de vinagre). Deixe macerar pelo menos 3 dias para extrair todos os sabores. Depois, coe a mistura e adicione o vinagre de sua preferência neste xarope- tente exercitar o seu lado “harmonização” para definir o que mais combina.  Se quiser acrescente especiarias como cardamomo, canela, anis, noz moscada, gengibre ou ainda ervas frescas de sua preferência.
  • guarde este xarope em vidro hermético na geladeira e quando quiser usar misture com água, água com gás, infusões suaves, sucos diluídos ou alguma bebida alcoólica de sua preferência (de novo, use as suas noções de harmonização para decidir o que combina!).

Au Revoir!

angrychicken.typepad.com

angrychicken.typepad.com