Estrangeiros na China


Ser um estrangeiro na China hoje em dia até que não é tarefa das mais difíceis- em lugares com maior concentração de “como nós”… já aqui na cidade onde moramos, Tianjin (que é a 5a maior da China em número de habitantes), e com certeza em lugares ainda mais para o interior, a coisa muda um pouco de figura. A hostilidade é digamos, levemente onipresente.
Bom, antes de continuar, vamos ver de onde vem essa relação de amor e ódio: na história recente da China, muitos países fizeram sua ocupação por aqui (e causaram obviamente a desapropriação de territórios importantes para eles)- Portugueses em Macau, Ingleses em Hong Kong, Alemães em Shandong, Japoneses nas províncias do Norte, etc. Até mais atrás ainda, em 1600, Europeus ocuparam um pedaço de Shangai, não permitindo nem mesmo a presença de chineses nestes territórios. O que provocou, logicamente, uma hostilidade geral aos estrangeiros, que foi passando de geração em geração. Mas estas invasões acabaram dando força ao Comunismo, que “pegou de volta” o que era seu por direito. E mantiveram seu País “fechado” por mais de 20 anos!</p
Foi também nesta época que recebemos nossos apelidos: “diabos de fora”, Lao Wai em Mandarim, ou “narigões”, Gui Lao em Cantonês. Hoje ainda se conhecem/usam estas palavras, que querem dizer simplesmente: estrangeiro!

Há aproximademante, hoje, mais de 400.000 estrangeiros em toda a China, mas há também chineses das províncias do interior que nunca viram um de nós na vida!!!

Há muitos chineses que não gostam de estrangeiros, e posso fazer uma ideia da razão: nós, eventualmente, conseguimos mais coisas do que eles pelo mesmo preço, obtemos melhor tratamento por parte de vendedores/atendentes, geralmente moramos em lugares melhores, ganhamos um maior salário para fazer o mesmo trabalho, e tudo isso dentro do País deles!!! Há chineses que fazem questão de mostrar seu repúdio: cospem no chão bem quando você está passando, tentam te enrolar no táxi (mas quanto a isso nem acho estranho, no Brasil isso é prática comum), cobram muito mais do que cobrariam de um chinês, fazem cara de paisagem quando você, eventualmente, precisa de ajuda…etc. Mas isso também não pode ser generalizado, pois há sempre a distinção individual.

Apesar de toda essa hostilidade, há também muita curiosidade envolvendo estrangeiros: eles olham ostensivamente para dentro do seu carrinho de compras, querem opinar até na marca de amaciante que você escolhe, e se você tem um bebê então, prepare-se!!! Nunca mais conseguirá ir a lugar nenhum sem ser praticamente encurralado, seguido, parado, desviado do seu caminho, por muitos chineses querendo ver e tirar foto do bebê! Chega a ser extremamente irritante, pois nada é assim, fácil. Até uma simples comprinha vira uma missão impossível, pois no momento em que você está decidindo (tentando decifrar as letrinhas da embalagem) qual marca de pastilha de limpeza pesada para o ralo é a melhor opção, você olha para o lado, onde está o carrinho da criança e voilá: há pelo menos umas 3 mulheres em volta tentando encostar na mãozinha, dando tchauzinho, falando mil coisas em chinês, e principalmente, horrorizadas com o fato de ela ter brinco na orelha, sendo que não tem nem um ano de idade (aqui elas colocam brinco somente quando grandes, pois blablabla que alguma tentou me explicar em “chinglês”- e fiz que sim com a cabeça mas só entendi este começo) !!!!
Apesar desse amor todo em relação a bebês estrangeiros, o fato de tentar parar um táxi com este olho puxado que Deus não me deu, e um carrinho de bebê é a sua garantia de não conseguir nenhum!!!! Um deles inclusive parou (pois quem o chamou foi um funcionário de um hotel em um bairro estrangeiro de Pequim), mas quando viu 4 estrangeiros com um bebê e um carrinho arrancou com a porta aberta e tudo!!!! Detalhe: estava chovendo muitíssimo neste dia!!!! Tente imaginar minha cara de monge budista de férias neste momento, quando já estava toda molhada com uma criança no colo… mas enfim, vamos trabalhar a serenidade, pois o Tibet é aqui perto(se é que a palavra perto ainda existe no meu dicionário), e temos o dever moral de absorver algo…mmmmmmmmmmmmmm…

Táxis, por exemplo, quando resolvem que não gostam de você, ou não entendem para onde você quer ir no meio da corrida, param o carro aonde estão, e fazem sinal para você descer, tipo “sai agora, sai, sai, sai”. E então, xingando até, você humildemente sai. A tiazinha (Fuli Hua é o nome dela) que me ajuda lá em casa, é uma figura bem carismática, e na nossa linguagem universal de mímica, nos entendemos perfeitamente quando o assunto é pano de chão, louças e Mr. Músculo! Ela pertence a classe dos que não odeiam nem um pouco os estrangeiros. E, assim como ela, tantos outros que nos acolheram, oferecendo sempre o seu melhor (incluo nesta lista uma senhora que me ajudou a descer o carrinho na escada sem eu nem pedir, vendo a minha cara de desespero).Isso chama-se humanidade! E para isso não há linguagem específica!

Tudo bem que a língua também não ajuda muito na questão amar estrangeiros, pois eles não falam inglês (na maioria), e nós quando falamos, é bem básico. Então, porque preferir um estrangeiro ao seu próprio compatriota? Minha intenção não é generalizar comportamento ou ditar tendências de. Estou apenas dando um tom tragicômico (bem característico da minha pessoa) a este assunto, que considero muito interessante e enriquecedor. Relações interpessoais, sejam elas de que tipo forem, sempre têm a acrescentar, nem que sejam risadas…E não esqueça jamais de que nunca nada será impossível para o Google Translator!!! Até logo, estrangeiro!

Advertisements

8 thoughts on “Estrangeiros na China

  1. Liane Lima says:

    E voce esta conseguindo cozinhar padrão Brasil ? A empregada está te ajudando a “decifrar” este mundo novo ? Beijos e … cadê fotos de Julinha ???

    • vanessamax says:

      Ate estou cozinhando bem…antiazinha so limpa e sai! Mas limpa bem, é super boazinha! Mas naonconsigo nem me comunicar c ela, ela chama a julia de roliaaaaaa! Kkkkkk, mto engraçado!

    • vanessamax says:

      Que bom, William! A China é um país muito curioso, e neste blog tento desvenda-lo, a cada dia-a-dia nosso aqui…principalmente para que eu mesma possa entende-lo….Uma cultura riquíssima e um povo bastante peculiar, e cheio de nuances! Obrigada por utilizar seu tempo lendo! 😉

  2. dibarbosa says:

    Que o povo chinês, generalizando, era um povo de comportamento provinciano eu já sabia. Pois que ainda que tenhamos o domínio da técnica, também generalizando, e estejamos a um ou mais passos à frente de qualquer questão neste sentido, continuaremos atrelados aos costumes mais tradicionais que a história cultural nos propiciou como herança. E, todo governo sabe, que especialmente quando há injustiças de um Estado para com seu povo, seu desenvolvimento sempre estará ameaçado e condenado a se perpetuar na estagnação.
    Parabéns pelas observações.

    • vanessamax says:

      Obrigada! Eles realmente são muito esquisitos, e completamente diferente de nós em todos os aspectos, mas como vc bem complementou, a questão da herança cultural é realmente muito forte e significativa na maneira como eles se comportam em tudo…. Todos os povos acabam sofrendo de alguma maneira com esta herança, mas a China acho que sofre ainda mais com o atraso por ela proporcionado… Obrigada por ler! 😉

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s